News

Estado e municípios se unem para mitigar efeitos da estiagem no Norte e Noroeste Fluminense

Os secretários estaduais da Casa Civil, Christino Áureo, da Agricultura, Jair Bittencourt, e da Defesa Civil, Cel.Roberto Robadey, se reuniram nesta sexta-feira (10), na prefeitura de Santo Antônio de Pádua, com prefeitos, vereadores, secretários de Agricultura, Defesa Civil e Ambiente do municípios do Norte e Noroeste fluminense, para a implantação do Conselho Regional de Mitigação dos Efeitos da Estiagem.

O colegiado, instituído por decreto do governador Luiz Fernando Pezão, é integrado por representantes do poder público e da sociedade civil com o objetivo de apresentar propostas e ações para minimizar os problemas crônicos e crescentes causados pela seca que atinge aquelas Regiões.

– É um chamamento à mobilização de várias instâncias públicas e privadas para uma situação que vem se agravando ao longo dos anos. As mudanças climáticas são questões mundiais, mas através do Conselho pretendemos sensibilizar o governo federal e outras instituições como a Câmara Federal para apoiar com recursos e intensificar as ações para a mitigação de seus efeitos – frisou Christino Áureo.
Para o secetário coronel Roberto Robadey acrescentou que pequenas medidas multiplicadas e a união de diversas esferas de governo em prol da mesma causa podem modificar o cenário da seca nesses municípios.
Na ocasião o secretário estadual de Agricultura, Jair Bittencourt, acrescentou que, dos 16 municípios do Norte e Noroeste fluminense em Estado de Emergência, 13 deles já estão com a decisão homologada pelo Estado. Desses, 11 já tiveram também o reconhecimento da situação de emergência pelo governo federal.

– Isso nos permite acessar recursos e securitizar financiamentos agrícolas junto ao Pronaf e outras linhas de incentivos à agricultura. Não podemos deixar de destacar o trabalho do Rio Rural nessas regiões. Os produtores atendidos pelo programa, conscientizados sobre o papel da recuperação ambiental, estão sofrendo menos com a estiagem – enfatizou.

Ele lembrou ainda que, graças à interferência do secretário Christino Áureo, foi possível liberar 100% dos recursos do Rio Rural, junto ao Banco Mundial, para a continuidade do programa.

Ao informar que nesta safra agrícola o Rio Rural investirá R$ 9 milhões em subprojetos voltados principalmente para a mitigação dos efeitos da seca nas microbacias atendidas pelo programa na Região, o secretário da Casa Civil destacou que os exemplos do Rio Rural mostram que é possível mudar as práticas de manejo e produzir alimentos em harmonia com a recuperação ambiental.
Na ocasião estiveram presentes prefeitos de Santo Antonio de Pádua, Josias Quintal, de Cambuci, Agnaldinho, de Cardoso Moreira, Gilson Siqueira, de Italva, Margareth Do Joelson, de Porciuncula, Leo Coutinho, Roberto Tatu, de Bom Jesus, Clovinho de Miracema, Manoel Faria de Itaocara, Dr. Silvestre, de Varre-Sai e demais autoridades.